-

Produzido por Thaís Nicoleti de Camargo, consultora de língua portuguesa da Folha e do UOL, blog discute questões e dá dicas para quem tem dúvidas no emprego da chamada norma culta.

Perfil completo

Publicidade

O passado de “intervir” é…

Por Thaís Nicoleti

Partir, partiu; sumir, sumiu; sorrir, sorriu; intervir… interviu? Parece, mas não é. O pretérito perfeito (passado) de “intervir”, na terceira pessoa do singular (ele), é “interveio”.

Estamos diante de um verbo irregular, ou seja, de um verbo cuja conjugação foge ao modelo já intuitivamente conhecido pelos falantes do português. O verbo “intervir” deriva do verbo “vir”, que também é irregular, mas é muito usado no dia a dia e, por isso mesmo, está sempre fresquinho na memória.

O passado de “vir”, na terceira do singular, é “ele veio”, que não se confunde com “ele viu”, passado de “ver”, outro verbo irregular. A diferença entre “veio” e “viu” é muito clara para todo o mundo, certo? Então basta lembrar que os derivados de “vir” e de “ver” se conjugam exatamente como eles. Assim: “provir” e “intervir” vêm de “vir”, portanto “ele proveio” e “ele interveio”; “rever” e “antever” vêm de “ver”, portanto “ele reviu” e “ele anteviu”.

É fácil! Basta um pouquinho de atenção.

Blogs da Folha