-

Produzido por Thaís Nicoleti de Camargo, consultora de língua portuguesa da Folha e do UOL, blog discute questões e dá dicas para quem tem dúvidas no emprego da chamada norma culta.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Museu da Língua consegue difundir idioma cheio de sutilezas

Por Thaís Nicoleti

Desde 2006, a cidade de São Paulo tem um Museu da Língua Portuguesa, uma iniciativa que pôs os holofotes da vida cultural da cidade sobre a nossa língua. Trata-se de um museu diferente dos demais, até porque seu objetivo é difundir um patrimônio imaterial, que não pode estar contido numa sala. portugues em pauta

Há quem se pergunte se é possível “aprisionar” a língua num museu. O fato é que um museu  é uma instituição que visa a conservar valores culturais, o que não significa que abrigue um universo estático, retirado do dinamismo da história. Muito pelo contrário. No caso do Museu da Língua Portuguesa, o que temos é um estímulo ao estudo e à difusão de uma língua que hoje é falada por muitos milhões de pessoas, em diversos  continentes, uma língua que já foi ao Prêmio Nobel graças ao português José Saramago, que é disseminada no cinema, na televisão e na já universal canção popular brasileira.

A quantidade de novos poetas e escritores que surgem todos os anos em língua portuguesa é prova dessa vitalidade de um idioma cheio de sutilezas, capaz de expressar o nosso modo particular de ver o mundo. Toda a vida cultural que se organiza em torno do idioma tem espaço num museu que não aprisiona, mas difunde a nossa língua.

Quem visitou o espaço conhece os seus painéis eletrônicos, o acervo informatizado e, sobretudo, a divertida sala de formação das palavras. É muito estimulante ver crianças e jovens encantados com a língua portuguesa, ali ensinada de modo lúdico, graças ao uso inteligente e criativo da tecnologia. Esperamos que a iniciativa se salve das chamas, enfim, que sejam tomadas as providências para a pronta recuperação dos danos materiais e imateriais.

 

 

 

Blogs da Folha