-

Produzido por Thaís Nicoleti de Camargo, consultora de língua portuguesa da Folha e do UOL, blog discute questões e dá dicas para quem tem dúvidas no emprego da chamada norma culta.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Parônimos são tema de estreia do quadro Português em Foco

Por Thaís Nicoleti

O tema de abertura do Português em Foco foi o emprego dos parônimos “mandato” e “mandado”. Adão portugues em foco

Parônimos são palavras parecidas quanto à forma, mas distintas quanto ao significado.

“Mandato” é a delegação de poderes a pessoas que serão os representantes do povo. Daí chamarmos de “mandatários” os políticos eleitos.

No trecho abaixo, do colunista Guilherme Boulos, escrito logo depois do afastamento da presidente Dilma Rousseff, o termo é empregado no sentido de “procuração concedida pelo povo”:

Bem que Roberto Brant avisou. O ex-ministro de Fernando Henrique e autor do programa econômico de Temer disse numa entrevista, ainda em 18 de abril: “A proposta não foi feita para enfrentar o voto popular. Com um programa desses não se vai para uma eleição. (…). Vai ser preciso agir muito rápido. E sem mandato da sociedade. Vai ter de ser meio na marra”.

No trecho abaixo, porém, o termo aparece como sinônimo de “gestão”:

[Sérgio] Amaral foi ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior no segundo mandato do presidente Fernando Henrique Cardoso e porta-voz da Presidência no primeiro mandato do tucano. Terá cargo na gestão Serra.

“Mandado” é missão, incumbência e, sobretudo, ordem judicial. Um “mandado de segurança”, por exemplo, é uma ação movida com vistas à garantia de um direito que esteja ameaçado por ato ilegal de autoridade constituída.

O quadro será exibido em vídeo duas vezes por mês. Dúvidas e sugestões devem ser enviadas para thaisncamargo@uol.com.br com o título do quadro (Português em Foco) na linha do assunto.

Blogs da Folha