Leitores podem conferir teste rápido de acentuação

A forma mais fácil de lidar com a mudança na ortografia é aprender, passo a passo, cada caso. A regra do ditongo aberto mudou, o que não significa que o acento de todos os ditongos abertos tenha sido eliminado.

Antes bastava que uma palavra tivesse em sua sílaba tônica (a mais forte) um dos ditongos abertos (-éi, -éu, -ói) para que o acento gráfico fosse usado. Adão portugues em focoO acento indicava, além da tonicidade, o timbre (grau de abertura) da vogal.

Nas palavras paroxítonas, verifica-se pronúncia não tão aberta entre os falantes do português europeu. Tanto isso é verdade que, em Portugal, esse acento não era usado mesmo antes do Acordo de 1990.

Para fazer a unificação ortográfica, o caminho mais simples era retirar o acento do ditongo aberto das paroxítonas, que existia no português do Brasil.

Os ditongos de fim de palavra (os das oxítonas) e os dos monossílabos tônicos mantiveram-se, pois, nesses casos, não há divergência de pronúncia. Assim: chapéu, céu, pastéis, carretéis, lençóis, faróis, ilhéus, dói, mói, rói, sói etc.

Perdem o acento as paroxítonas cuja sílaba tônica seja um ditongo aberto, desde que sejam palavras antes acentuadas apenas por esse motivo.

É esse o caso de geleia, estreia, assembleia, paranoico, opioide, asteroide, humanoide, joia, boia etc., mas não é o caso de destróier e Méier, cujo acento, embora repouse sobre o ditongo aberto, lá está para marcar a pronúncia paroxítona das palavras terminadas em “-r”.

Abaixo, as respostas do teste rápido de acentuação gráfica:

TESTE RÁPIDO

Caso haja erro quanto à acentuação, segundo a nova ortografia, substitua o termo incorreto pelo correto.

  1. Esses campos de atuação têm diferentes papeis no currículo, a depender do nível de escolaridade. (ERRADO)

RESPOSTA: papéis manteve o acento, pois o ditongo aberto cai na última sílaba.

  1. É verdade que tu ainda rois as unhas? (ERRADO)

RESPOSTA: róis, forma do presente do indicativo da segunda pessoa do singular do verbo “roer”, mantém o acento por ser um monossílabo tônico.

  1. Após a fase de instalação do apiário, o apicultor deverá preocupar-se em realizar o manejo eficiente de suas colmeias para que consiga ter sucesso na atividade. (CERTO)

RESPOSTA: a grafia está correta, pois o ditongo de colmeias cai na penúltima sílaba.

  1. Os quelóides diferem das cicatrizes normais por sua textura mais espessa e por ultrapassar os limites da cicatriz. (ERRADO)

RESPOSTA: queloides perdeu o acento, pois o ditongo aberto cai na penúltima sílaba (sufixo “-oide”).

  1. Opiáceos e opióides são importantes fármacos utilizados no tratamento da dor. (ERRADO)

RESPOSTA: opioides perdeu o acento, pois o ditongo aberto cai na penúltima sílaba (sufixo “-oide”).

  1. Paranóia é um termo utilizado por especialistas em saúde mental para descrever desconfiança ou suspeita altamente exagerada ou injustificada. (ERRADO)

RESPOSTA: o ditongo de paranoia cai na penúltima sílaba, portanto a palavra perde o acento gráfico.

  1. A fim de evitar uma irregularidade que o STF entende causadora de nulidade absoluta, convém estender à defesa dos corréus a faculdade já conferida à defesa do interrogando e ao órgão acusatório de formular reperguntas. (CERTO)

RESPOSTA: corréus manteve o acento, pois o ditongo aberto cai na última sílaba da palavra.

  1. Espero que vós aluguéis o imóvel o mais rápido possível. (ERRADO)

RESPOSTA: na frase acima, deve ser empregada a forma alugueis, sem acento, por tratar-se de conjugação do verbo “alugar”. Aluguéis, com acento, é o substantivo (Cobrou os aluguéis atrasados).

  1. Manifesto: Eu apoio a legalização do aborto (CERTO)

RESPOSTA: O apoio /ô/ e eu apoio /ó/ não têm distinção gráfica. Em eu apoio, o ditongo aberto cai na penúltima sílaba, portanto perde o acento.

  1. Por isso, acreditamos que é um momento fundamental para que a sociedade se abra para debates francos, livres de hipocrisias, encarando com responsabilidade a triste sina a que são condenadas as brasileiras pobres, de um país que historicamente abandona as mulheres à própria sorte, sem acesso à informação, apoio e serviços e sem direito de decidir sobre a maternidade. (CERTO)

RESPOSTA: O apoio /ô/ e eu apoio /ó/ não têm distinção gráfica. Em o apoio, o ditongo é fechado, portanto nunca recebeu acento gráfico.

 

Comentários

  1. Muito bom, ajuda muito o texto! Duas observações, porém: 1. As respostas poderiam vir todas no final, para dar tempo da gente pensar e ter dúvidas 2. O final da frase do item 10 tem um erro “e sem direito de sobre a maternidade”. falta uma palavra aí (acho que “decidir”).

    De qualquer forma, parabéns à autora!

    1. Radoico, tudo bem? O teste foi publicado na semana anterior, no dia do vídeo. Pus as respostas uma semana depois. Vou verificar o que houve com a palavra que sumiu. É possível que estivesse apoiando um link que eu apaguei. Muito obrigada por avisar. Abraços 🙂

  2. Sei que é “chover no molhado” o que vou escrever aqui. A reforma ortográfica foi um erro histórico. Portugal continua escrevendo de forma diferente da nossa, principalmente termos técnicos e científicos.

  3. Ouso lamentar algumas mudanças que a reforma ortográfica trouxe. A acentuação dos ditongos abertos em todas as sílabas tônicas era um diferencial que nossa língua tinha, um verdadeiro farol para os aprendizes do português brasileiro. Perdeu-se a orientação natural de pronúncia que a palavra tinha. Nossa língua mais evoluída foi mutilada. Não apoio tal mudança (que vontade de acentuar …!)

  4. Profa. Tahís:
    Descobri este site muito recentemente e me parabenizo em ser um leitor assíduo.
    Assim, tomo a liberdade de perguntar : No sétimo parágrafo desse artigo a senhora escreveu a palavra PRONÚNCIA com acento agudo na letra ” u ‘.
    Está correto ou eu continuo com dúvida ?

Deixe uma resposta