Perfil Thaís Nicoleti de Camargo é consultora de língua portuguesa da Folha e do UOL.

Perfil completo

A regra do ditongo aberto

Por Thaís Nicoleti
19/10/12 12:00

A eliminação do acento do ditongo aberto tônico das paroxítonas foi uma das alterações que mais incomodaram os brasileiros, acostumados que estamos a pronunciar de modo claramente aberto as vogais “e” e “o” de palavras como “ideia”, “geleia”, “panaceia”, “asteroide”, “polaroide”, “heroico” etc. Como sabemos, porém, a pronúncia das palavras não sofre nenhuma mudança. A reforma é apenas ortográfica.

Assim:

GELEIA, sem acento

Joia, sem acento

Repare que perdem o acento os ditongos abertos que não estão na sílaba final da palavra. O ditongo aberto das oxítonas continua existindo. Por esse motivo, “herói” mantém o acento, mas “heroico” não. A maior parte das oxítonas terminadas em ditongo aberto são plurais. Veja: papéis, fiéis, cordéis, carretéis, anéis, lençóis, anzóis etc.

Assim:

Chapéu, oxítona, com acento

Papéis, oxítona, com acento

Quem trabalha com corretores ortográficos eletrônicos deve ficar atento, pois esses sistemas não conseguem corrigir a grafia de algumas dessas oxítonas caso a pessoa se esqueça de pôr o acento. Por que isso acontece?

Isso ocorre porque coexistem na língua as formas “papéis” (substantivo) e “papeis” (forma do verbo “papar”), “fiéis” (substantivo/adjetivo) e “fieis” (forma do verbo “fiar”) etc. O mais seguro é realmente aprender a regra, coisa que o computador não consegue fazer a contento.

“PEGADINHA”

Agora que você já compreendeu a regra, diga sem hesitar qual é o certo: “destróier” ou “destroier”? Estamos diante de um caso de paroxítona terminada em “-r” cuja sílaba tônica é um ditongo aberto. Como sabemos, as paroxítonas terminadas em “-r” são acentuadas (revólver, mártir, cadáver, pulôver etc.) e as paroxítonas cuja sílaba tônica é um ditongo aberto perderam o acento. Temos aqui uma situação de sobreposição de duas regras. Nesse caso, vale a regra da paroxítona em “-r” – e a palavra mantém o acento.

Assim:

Destróier, com acento

O mesmo vale para Méier, nome de um bairro do Rio de Janeiro.

 

About Thaís Nicoleti

Thaís Nicoleti de Camargo é consultora de língua portuguesa do Grupo Folha-UOL e coordenadora do Controle de Erros da Folha de S.Paulo. Formada em letras pela USP (Universidade de São Paulo), é professora de português desde 1984, tendo atuado em colégios e cursos pré-vestibulares e preparatórios às escolas militares. Autora dos livros “Redação Linha a Linha” (Publifolha), “Uso da Vírgula” (Manole) e “Manual Graciliano Ramos de Uso do Português” (editado e distribuído pela Secretaria de Comunicação do Estado de Alagoas), elaborou e, durante 12 anos, apresentou as aulas de gramática do programa “Vestibulando”, veiculado pela TV Cultura (São Paulo). Tendo vivido por três anos na cidade de Maceió, lá criou e apresentou os programas “Português Linha a Linha” – levado ao ar pela TV Pajuçara (afiliada do SBT e, posteriormente, da Rede Record) – e “Português em Dia”, produzido pela TV Gazeta (afiliada local da Rede Globo). Hoje, além de suas atividades no Grupo Folha-UOL, ministra cursos de português em empresas e palestras em diversas instituições.
  • Comentários
  • Facebook

9 comentários feitos no blog

  1. José Angelo Potiens comentou em 19/10/12 at 2:52 pm Responder

    Prezada Thaís, o ditongo aberto e outras coisinhas da língua pátria volta e meia aparecem como ciladas para mim. E olha que sou escritor.

  2. Marcelo comentou em 19/10/12 at 3:08 pm Responder

    É de se lamentar as correções feitas na ortografia da língua portuguesa, coisa de “gênio”.

    Ao meu ver, dificultaram ainda mais em vez de facilitar.

    • glaucia andrioli chiarelli comentou em 21/10/12 at 5:56 pm Responder

      Concordo, Marcelo, isso é bem típico do Brasil.

  3. Jairo Marques comentou em 19/10/12 at 5:03 pm Responder

    Um pouco atrasado para a inauguração, mas aqui estou! Sou fã da Thaís desde quando ela mantinha um programana TV Cultura. Atualmente, tenho o privilégio de tê-la como leitora primeira de muitos dos meus textos. Solícita, atenta e gentil sempre. Tenho certeza que este espaço será um sucesso! Beijos

    • Thaís Nicoleti comentou em 19/10/12 at 5:15 pm Responder

      Obrigada, querido Jairo, com quem discuto muitas ideias interessantes. Grande beijo!
      Thaís

  4. Alexandre Barreto comentou em 19/10/12 at 5:19 pm Responder

    Excelente texto, principalmente pela parte da “pegadinha”, pois após decorar a regra o natural é a pessoa elimine o acento de cara, mesmo nas paroxítonas terminadas em R.

  5. alfredo comentou em 19/10/12 at 6:40 pm Responder

    Muito benvinda neste momento polêmico de nossa língua em que aqui se pratica a reforma ortográfica e em Portugal se ignora quase geral.Algumas mudanças são de amargar,como o para verbo sem acento e ideia que só leio idêia,mas,vida que segue.

    • Thaís Nicoleti comentou em 19/10/12 at 8:56 pm Responder

      Sim, Alfredo, vamos falar mais sobre isso. Abraços

  6. Camilo comentou em 20/03/13 at 2:22 am Responder

    Que coisa mais dificil. É dificil para vocês que são brasileiros, imagine como é para os estrangeiros que estamos aprendendo portugues!

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Publicidade
Publicidade

Folha Shop