Quem fica quieto na hora do jogo da seleção?

(Andre Penner/ Associated Press)

Posso morrer pelo meu time Se ele perder, que dor, imenso crime Posso chorar se ele não ganhar Mas, se ele ganha, não adianta Não há garganta que não pare de berrar  (Skank)   Dia de jogo da seleção brasileira é quase um feriado nacional. Vamos ficar no “quase”, pois as pessoas ficam divididas entre […]

Leia Mais

Quem quer ser um professor?

Recebi há coisa de alguns dias o link de uma reportagem que, veiculada no programa do apresentador Datena, mostrava as agruras de um professor de história e geografia que completava o salário atuando como catador de papel para fazer face às despesas de uma vida humilde. Quem não viu pode encontrar facilmente o vídeo na […]

Leia Mais

Manchete com título no futuro: a morte calculada

Perdi-me dentro de mim  Porque eu era labirinto,  E hoje, quando me sinto,  É com saudades de mim  (Mário de Sá-Carneiro, poeta e suicida) No último dia 10 de maio de 2018, a Folha, em sua versão impressa, publicou uma notícia cujo título, diferentemente do que ocorre na prática jornalística, continha um verbo no futuro: […]

Leia Mais

A mudança linguística e as normas

Dizer que a língua muda com o tempo já não parece novidade para ninguém. Basta uma breve comparação entre textos de épocas diferentes para constatar isso. É claro que, ao cotejar textos de momentos distantes no tempo, fica mais fácil perceber as diferenças. Difícil, porém, é lidar com a fluidez da língua, com a sua […]

Leia Mais

Língua portuguesa em pauta: conversa com Carlos Alberto Faraco

No âmbito do projeto “O Tamanho da Língua”, Carlos Alberto Faraco, professor titular aposentado e ex-reitor da Universidade Federal do Paraná, durante uma tarde na Livraria do Chain, em Curitiba, conversou comigo sobre o tema a que tem dedicado seus 45 anos de vida acadêmica: a língua portuguesa. Em tom de bate-papo, com seu leve […]

Leia Mais

Amar e ser amado; perdoar e ser perdoado?

Celso Luft, em seu conhecido “Dicionário de Regência Verbal”, a propósito de discutir a sintaxe do verbo “perdoar”, alfineta gramáticos puristas e mesmo dicionaristas que, ao reprovarem uma construção, logo vêm com a  célebre introdução “É muito corrente, embora irregular…”. Retruca Luft: “O que é usual, corrente, é regular”. Regular ou irregular? Vai depender do […]

Leia Mais

O preconceito é sempre uma premissa falsa

Às vésperas da realização do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), uma decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), acatando pedido da Associação Escola sem Partido, determinou a suspensão da anulação das redações cujo conteúdo desrespeite os direitos humanos, critério que vem sendo seguido pelas equipes de correção de textos desde 2013. Sob […]

Leia Mais

Um argumento frágil

Recentemente, o médico Drauzio Varella manifestou em uma de suas colunas seu repúdio ao crime de estupro. Conhecedor que é do ambiente carcerário, lembrou aos leitores que, na cadeia, esse crime é rechaçado com violência pelos presos a ponto de os estupradores terem de ser mantidos em isolamento sob pena de serem trucidados pelos outros […]

Leia Mais

Chico Buarque, o amor e a saudade da Amélia: onde está o machismo?

De uns tempos para cá, talvez em razão desse bate-papo de milhares de vozes que são as redes sociais, quase tudo é alvo de algum tipo de crítica. E, num ambiente de muito alarido, muitas vezes vence quem fala mais alto – ou quem é mais radical.  Recentemente, o nosso Chico Buarque, que sempre cantou […]

Leia Mais

Escrita no corpo: um gesto banal?

Às vésperas de mais uma votação na Câmara para autorizar (ou não)  a investigação do presidente da República, um deputado decide registrar o voto no próprio corpo. Novamente, a tatuagem está na ordem do dia. Não faz muito tempo, a imprensa noticiava com consternação o episódio de um rapaz que tentava furtar uma bicicleta e […]

Leia Mais