-

Produzido por Thaís Nicoleti de Camargo, consultora de língua portuguesa da Folha e do UOL, blog discute questões e dá dicas para quem tem dúvidas no emprego da chamada norma culta.

Perfil completo

Publicidade

Ele vem, eles vêm

Por Thaís Nicoleti

Tratamos do passado do verbo “intervir” (eu intervim, tu intervieste, ele interveio, nós interviemos, vós interviestes, eles intervieram) e logo surgiu a questão dos acentos diferenciais das formas de terceira pessoa.

Muito bem. Esses acentos não sofreram alteração com o Acordo Ortográfico, portanto continuamos escrevendo “ele vem” (sem acento no singular) e “eles vêm” (com acento no plural). Vale observar que a pronúncia de ambos é idêntica. O acento gráfico marca uma distinção apenas na forma de escrever. Pode até parecer desnecessário fazer essa distinção, mas, em alguns casos, ela é muito útil e nos ajuda a identificar o sujeito de uma oração.

Os verbos derivados de vir, como “intervir” e “provir”, apresentam uma particularidade quanto à acentuação. No singular, temos “ele intervém” e “ele provém”; no plural, “eles intervêm” e “eles provêm”. Mais uma vez, a distinção é apenas gráfica (a pronúncia das formas do singular é idêntica à das formas do plural).

Você notou que agora existe acento tanto no singular como no plural – no singular, é agudo e, no plural, é circunflexo. Como têm mais de uma sílaba, essas palavras são oxítonas terminadas em “-em” e, por esse motivo, todas devem receber um acento (exatamente como “alguém”, “ninguém”, “porém”, “vintém” etc.).

Observe a diferença de pronúncia entre “alguém” (oxítona) e “outrem” (paroxítona). Uma tem acento, outra não. Veja o caso da forma verbal “provem”, do verbo “provar”. Trata-se de uma paroxítona, certo?

Observe estas frases e veja como é importante saber acentuar as palavras:

Eles provêm da Argélia. (provir)

O português provém do latim. (provir)

Esperamos que eles provem o que estão afirmando. (provar)

As oxítonas (somente elas) terminadas em “-em” sempre são acentuadas, certo?

Blogs da Folha