-

Produzido por Thaís Nicoleti de Camargo, consultora de língua portuguesa da Folha e do UOL, blog discute questões e dá dicas para quem tem dúvidas no emprego da chamada norma culta.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Viagem de férias

Por Thaís Nicoleti

Nada melhor do que tirar férias de vez em quando. Você já notou que a palavra “férias” sempre aparece no plural? É assim, no plural, que nos referimos ao período de descanso a que todo trabalhador tem direito uma vez por ano.

No singular, “féria”, a palavra converge para outro sentido. No âmbito comercial, é o termo que nomeia a remuneração de um trabalhador que recebe por dia. Na liturgia católica, por sua vez, é o nome dos dias da semana em que não se comemora uma festa especial. É de “féria” que vem “feira” nos nomes dos dias da semana (segunda-feira, terça-feira, quarta-feira etc.).

As viagens, em período de férias ou não, sempre podem render relatos. Existe até um gênero, que é o da literatura de viagem. Os relatos dos viajantes que chegaram ao Brasil na época do descobrimento podem enquadrar-se nele. Os vestibulandos têm lido a obra “Viagens na Minha Terra”, do português Almeida Garrett, um bom exemplo do gênero, que, para além da narrativa de fatos, é um pretexto para a reflexão sobre diversos temas. Não é demasiado lembrar que a grande epopeia camoniana, o poema “Os Lusíadas”, é também a narrativa de uma viagem (a de Vasco da Gama às Índias).

Alguns perguntarão: “viagem” ou “viajem”? Você sabe por que existem as duas grafias? É muito simples: o substantivo é escrito com “g” (a viagem, uma longa viagem), mas a forma verbal segue o radical de “viajar”, que tem de ser escrito com “j” (se fosse com “g”, teríamos “viagar”).

O radical de todas as formas do verbo tem, portanto, um “j”: eu viajo, ele viaja, nós viajamos… No modo subjuntivo, teremos “espero que eles viajem cedo” e, no modo imperativo, “Viajem amanhã cedo. Para que tanta pressa?”.  

Então, para grafar corretamente a palavra, será necessário observar se está sendo empregado o substantivo (com “g”) ou a forma verbal (com “j”).

_________________________________________________________________________________________________________

Aviso aos leitores: este blog passará a ter as seguintes seções:

1. O leitor quer saber: desenvolvimento de textos baseados em dúvidas dos leitores

2. Português & Cia.: dicas de português voltadas para o mundo do trabalho

3. Português em Dia: textos sobre a língua com ênfase no ensino da norma culta

4. Português na Folha: textos baseados em questões suscitadas pela Redação da Folha e/ou em impropriedades encontradas nos textos do jornal

5. Sala de Leitura: trechos de obras literárias para estimular a prática da leitura 

6. Tema Livre: como o nome propõe, entrarão nessa categoria textos de quaisquer outros formatos, sempre voltados para a reflexão sobre a língua

As seções têm por objetivo divesrificar o material produzido e facilitar a busca de “posts” pelo leitor. Haverá uma categoria específica para os textos que tratam da nova ortografia do português.

 

Blogs da Folha