-

Produzido por Thaís Nicoleti de Camargo, consultora de língua portuguesa da Folha e do UOL, blog discute questões e dá dicas para quem tem dúvidas no emprego da chamada norma culta.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Não confunda “a fim de” com “afim”

Por Thaís Nicoleti

Um de nossos leitores pediu esclarecimento sobre a distinção entre “a fim” e “afim”.

Muito bem. A primeira forma integra locuções (a fim de, a fim de que), enquanto a segunda é um adjetivo e, como termo jurídico, também um substantivo. Vamos observar quando se usa cada uma delas.

A FIM DE/ A FIM DE QUE

As locuções “a fim de” e “a fim de que” exprimem ideia de finalidade e podem ser substituídas por “para” e “para que”, respectivamente. Assim, podemos dizer o seguinte:

Economizaram dinheiro durante muitos anos a fim de comprar um imóvel. [para]

O palestrante pediu silêncio à plateia a fim de que todos pudessem ouvi-lo. [para que]

 

ESTAR A FIM DE FAZER ALGO/ ESTAR A FIM DE ALGUÉM

É ainda a locução “a fim de” que se usa no sentido de “com a intenção de”, “com vontade de”. É, aliás, muito comum esse uso. Veja exemplos abaixo:

Não estava a fim de conhecer pessoas naquele dia. [não tinha vontade de conhecer, não tinha intenção de conhecer]

Estava a fim de viajar. [tinha vontade de]

 

Na linguagem informal, “estar a fim de alguém” é ter interesse amoroso pela pessoa, ter a intenção de estabelecer um relacionamento. Assim:

Fazia tempo que o garoto estava a fim da filha do professor.

AFIM

O adjetivo “afim” é empregado para indicar que uma coisa tem afinidade com a outra. Há pessoas que têm temperamentos afins, ou seja, parecidos. Podemos ter ideias afins, comportamentos afins, interesses afins. Na maior parte das vezes, o adjetivo aparece no plural.

Também pode, porém, aparecer seguido de um complemento – e talvez aí resida a dúvida de muita gente. A preposição mais frequentemente empregada com esse adjetivo não é o “de”, mas o “com”. Assim, podemos dizer o seguinte:

As ideias socialistas são afins com o ideário cristão. (as ideias têm afinidade com o referido ideário)

 Podem aparecer ainda as preposições “de”, “em” e “a”. Assim:

Estudava as línguas afins do russo. (línguas que têm semelhanças com o russo)

Eram pessoas afins nas ideias. (pessoas que têm afinidade nas ideias)

As correntes culturais contemporâneas são afins ao modernismo. (têm semelhanças com o modernismo)

Embora admita complementos com várias preposições, “afim” sempre exprime a ideia de afinidade ou semelhança, o que não se confunde com a ideia de finalidade da locução “a fim de”.

Como substantivo, o termo designa pessoas ligadas por vínculo matrimonial, não sanguíneo ou de adoção. Sogros e cunhados, por exemplo, são parentes por afinidade – ou afins.  Assim:

Os afins não foram lembrados no testamento. [parentes]

 

 

 

 

 

Blogs da Folha