Como você usa os termos ‘obrigado’ e ‘obrigada’?

Num dia desses, navegando pela internet, encontrei uma “notícia” já meio velha, que foi nova em 2015 ou 2016, sobre o nosso craque Neymar Jr. O texto falava de seus luxos, tema que sempre desperta curiosidade. Afinal, que destino o garoto dá aos milhões que despencam em suas contas bancárias? Carros, mansões, presentes caros para amigos e namoradas etc. estão na lista.

Chamava a atenção, no entanto, o celular com capinha de ouro personalizada. Diga-se: foi um mimo que ele recebeu da empresa que produz as capinhas, não foi uma compra dele. Boa parte dos luxos, aliás, são presentes que ele ganha e, naturalmente, conta a seus inúmeros fãs e seguidores nas redes sociais.

Na rede social de Neymar, o agradecimento está escrito em inglês: “Can’t wait to finally receive my @goldenconcept mobile phone in polished Gold. Thanks for your service @goldenconcept“, mas, em um sem-número de sites e jornais que repercutiram a notícia, o texto aparece em português: “Mal podia esperar para receber meu celular banhado a ouro. Obrigada”. O original foi editado, mas fica difícil saber se tinha sido publicado em português antes. 

Em outro punhado de publicações (aparentemente em menor número), a frase dele é ligeiramente diferente: “Mal podia esperar para receber meu celular banhado a ouro. Obrigado”. O leitor deste blog de língua portuguesa já percebeu por que essa história acabou chegando aqui. Há dois pontos nessa curta mensagem que merecem observação.

A forma de agradecer, obrigado ou obrigada, é o que se destaca, pois é o ponto divergente nos veículos de comunicação que repercutiram o fato. Gramaticalmente, a palavra “obrigado” é o particípio passado do verbo “obrigar” que tem valor de adjetivo. Quem está agradecido, grato ou obrigado é quem se sente devedor de um favor, de um elogio, de uma amabilidade. Ora, se assim é, o termo concorda com essa pessoa que se sente agradecida, daí a antiga lição: um homem diz “obrigado” e uma mulher diz “obrigada”.

Já se ouve quem defenda que “obrigado” tem valor de interjeição (e, nesse caso, seria invariável). Essa é uma interpretação, que, no entanto, ainda não é majoritária. De qualquer forma, os que partilham dessa opinião aceitariam que uma mulher dissesse “obrigado”, mas que dizer de um homem usar o gênero feminino? Aí fica difícil dar uma explicação.

Tenho visto nestes tantos anos de lida com a língua portuguesa muita gente a imaginar que o agradecimento concorda com a pessoa a quem nos dirigimos; nesse caso, o homem diz “obrigada” quando agradece a uma mulher (!). Se assim fosse, ela é que seria a devedora do favor, não ele. Quem está obrigado é quem recebe algo de alguém. Pode ter sido esse o raciocínio (equivocado) de quem escreveu no feminino, uma vez que o agradecimento está dirigido à empresa.

Dito isso, nunca saberemos se Neymar chegou a pensar em português (e que gênero teria ele usado) ou se pensou mesmo em inglês, língua na qual inexiste essa questão (“Thanks” é “thanks” e pronto!). Muito bem: teria algum jornalista usado equivocadamente o feminino e nisso os demais o teriam seguido? E aqueles que usaram (corretamente) o masculino? Esses teriam editado (corrigido) o original (se é que houve um original em português escrito por Neymar) ou apenas feito a correta tradução? Nunca saberemos e alguns dirão que, em tempos de fake news, isso é pouco importante. Será?

Uma segunda questão suscitada pela frase de Neymar é a expressão “banhado a ouro”, que, até onde cheguei, foi unânime entre os jornalistas que deram a notícia. Seria o “a” a preposição adequada? Novamente estamos diante de um particípio, agora do verbo “banhar”. Como costumamos usar esse verbo? Se digo algo como “Ao ouvir a notícia aterradora, seu rosto banhou-se em lágrimas, digo também que seu rosto ficou banhado em lágrimas, não é?  Um objeto que recebeu um banho de ouro foi banhado em ouro — a bem dizer, foi mergulhado no ouro, da mesma forma que algumas pessoas gostam de banhar o pão no café. Difícil imaginar a preposição “a” nessas situações, não?

Então, bem podia o nosso querido Neymar ter publicado o seguinte agradecimento: “Mal podia esperar para receber meu celular banhado em ouro. Obrigado, @nome da empresa. 🙂

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta